segunda-feira, 28 de maio de 2012

A acompanhar com atenção...


Directamente de Paços de Ferreira, na próxima época. Sempre a subir na sua carreira.

quarta-feira, 23 de maio de 2012

Sobre a final da Taça...






- Antes demais, não um grande jogo de futebol, sobretudo por mais responsabilidade do Sporting do que propriamente da Académica, que jogou e teve a sua postura, conforme mais lhe convinha, com bons resultados;

- É notória a grande dificuldade do Sporting em jogar contra equipas em bloco baixo, com boa concentração de jogadores, bom preenchimento dos espaços, e com todos os jogadores atrás da linha da bola. Essa dificuldade já vem desde Domingos e parece continuar. Ora, se atendermos a estas características, o facto do Sporting não ter tido uma postura pressionante e agressiva quando se encontrava sem bola, talvez se explique muita coisa;

- A Académica é uma equipa que frente aos grandes, pelo menos nos jogos que observei, deixava os centrais adversários assumir a construção com relativo à vontade, baixando o ponta de lança para perto da linha média. Assim aconteceu com Edinho, que quando a bola chegava à zona defensiva do Sporting, baixava para junto da linha média, com os centrais do Sporting convidados a construir. O Sporting é uma equipa que não tem centrais de equipa grande. Sim, porque quando é preciso assumir o jogo e não ter uma postura expectante e se convida os nossos centrais a construir, a partir daí tiramos as ilações. Dos centrais que o Sporting possui, só Rodriguez é um central com características razoáveis de construção, mas passa mais tempo no departamento médico do que propriamente no terreno;

- Porque é que uma equipa que está numa postura expectante, consegue várias transições ofensivas, como aconteceu com a Académica na tarde de Domingo? Responsabilidade do Sporting. Erros gritantes em construção, más tomadas de decisão por parte de alguns jogadores (Capel) com bola, e um distanciamento intersectorial acentuado, com espaço para as saídas em transição ofensiva que a Académica conseguiu e bem. Confesso que nem consegui perceber qual era a ideia do Sporting, que zonas queria pressionar, que atitude na perda da bola, não consegui perceber...

- Questão: no golo da Académica, aquando da perda de bola e consequente lesão de Polga no meio campo, com variação rápida de David Simão para o corredor, com Insua a fechar por dentro na zona do central que estava em recuperação depois de ter estado caído, quem deveria estar a fechar o segundo poste, onde Marinho aparece a cabecear sem oposição? Pois...

- Irrita-me solenemente ver um jogador que é idolatrado em Alvalade e a meu ver, claramente sobrevalorizado, pegar na bola no corredor esquerdo e sair em condução acelerada e frenética para o lado direito para entregá-la ao extremo contrário a um metro dele? Que benefícios? Qual o objectivo? Isto acontece frequentemente. Ora, se estamos a jogar contra uma equipa que concede poucos espaços, que tem uma densidade de jogadores elevada sobre a zona da bola, quando os conseguimos, tomamos este tipo de decisões com bola, estamos claramente a prejudicar o colectivo e a reduzir as nossas possibilidades de ter êxito;

- Se uma equipa nos concede a iniciativa do jogo, umas das maiores e principais premissas, é termos uma circulação de bola rápida, a toda a largura, aproveitando com paciência uma possível desorganização do adversário para tentar entrar no último terço. É uma das premissas essenciais. O Sporting não teve nada disso, contando-se pelos dedos das mãos, as oportunidades de golo criadas;

- Destaque individual para Adrien Silva. Dos jogos que vi da Académica na época que findou, esteve sempre em grande destaque. Tem, de CARAS, lugar no próximo plantel do Sporting. Espero que Sá Pinto seja da mesma opinião.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

O 9


Se os gigantes do futebol europeu procuram um verdadeiro e completo ponta de lança, eu diria que actualmente, este é dos melhores que por aí andam, senão mesmo o melhor. Com todo o respeito pelo Atlético, já é um clube demasiado pequeno para Radamel Falcao. Bem sei que aceitou o repto de ir para Madrid, mas se quer ser mais reconhecido a nível internacional, se deseja o topo, se quer vencer troféus importantes para além da Liga Europa, tem que ir para uma equipa de topo. E atendendo aos problemas económicos que assolam o Atlético de Madrid, seria uma desilusão enorme senão visse este ENORME ponta de lança na próxima época, numa equipa com outra dimensão. Aquilo que fez hoje, na final da Liga Europa, só está ao nível de ponta de lança de altíssimo nível e Falcao é esse jogador. Sublime.

sábado, 5 de maio de 2012

Obrigado


Podia dizer muita coisa, mas acho que "Obrigado" é a palavra mais correcta e estou certo que todos os fãs de futebol, que idolatram o jogo por paixão, estarão de acordo comigo. Guardiola trouxe algo de novo ao futebol, modelou uma cultura de um clube, interpretando-a até à exaustão, criou a sua própria marca, criou a sua própria história. Desde que me conheço, foi a equipa que mais prazer me deu ver jogar, porque teve uma ideia muito própria e além disso, venceu, conquistou, glorificou. Ficará sempre na história como a já designada "Pep Team", por isso agradeço tão bons momentos de futebol que ficarão indubitavelmente na nossa memória. O Barcelona continuará a sua história, pela escolha do seu sucessor, pretenderá manter a sua cultura, a sua filosofia de jogo e cá estaremos no futuro mais próximo para analisar.

Pep decidiu sair. Foi uma decisão sua e como treinador de futebol que também sou, acabo por o compreender. Como ele disse e bem, 4 anos como treinador no Barcelona são uma eternidade, eu acrescento que em qualquer clube, excepto o Manchester United, o são. Há uma altura em que há um desgaste dos jogadores em relação ao treinador, à sua voz, à sua comunicação, à sua metodologia, é perfeitamente natural isso acontecer devido à rotina do dia a dia, como também acontece com o treinador, que lidera quase os mesmos jogadores à muitos anos e às vezes o ser humano precisa de novos desafios, há uma necessidade de se transcender até para não haver uma certa acomodação, por isso compreendo Guardiola na hora da saída. Espero que possa descansar e que possa voltar rapidamente ao futebol. O bom futebol precisa de Guardiola e estou certo que Guardiola, mais tarde ou mais cedo, necessitará do bom futebol.

Por agora, bom descanso e muito obrigado Pep.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Fiquei fã...


Confesso que tinha visto poucos jogos seus para ter uma opinião demasiado concreta. Sabia sim que era um ponta de lança de inegável valor. Estive especialmente atento no jogo de quinta feira passada e fiquei muito bem impressionado. Confirmou os predicados de um excelente ponta de lança. Forte nos apoios frontais, forte na protecção e temporização da bola para apoios e entradas dos médios, forte na profundidade, tecnicamente interessante e com espaço... letal. Gostei muito. Foi uma autêntica dor de cabeça quer para Anderson Polga quer para Xandão e Marcelo Bielsa organiza a sua equipa um pouco também em função das características do seu 9 e acho que o faz bem. Não sei que dimensão Llorente teria numa equipa de maior cartel, mas apostava fortemente no seu sucesso. Para mim, é um excelente ponta de lança a merecer a atenção dos clubes de topo (com todo o respeito pelo Athletic). Para continuar a seguir, sobretudo na final da Liga Europa.