terça-feira, 10 de abril de 2012

Curtas sobre o clássico


- Vitória justa do Sporting, e tendo em conta o que se passou durante os 90 minutos, peca por escassa. Se é verdade que a grande penalidade que ficou por marcar a favor do Benfica, poderia ditar outro tipo de jogo, é um facto, mas na generalidade, o Benfica fez muito pouco em Alvalade, sendo derrotado em todos os sentidos e com Sá Pinto a levar a melhor sobre Jorge Jesus no plano estratégico;

- Jorge Jesus volta a cometer os mesmos erros que já lhe custaram dissabores no passado, sobretudo na época passada, ou seja, poucos homens no corredor central do meio campo, muita gente à frente da linha da bola, e quando acontecem perdas de bola, o Benfica é uma equipa demasiado exposta, defendendo com muito pouca gente. Se contra a maioria dos adversários do nosso campeonato, esta estratégia pode resultar, contra outro tipo de equipas com mais poderio, esta estratégia é desastrosa. Aconteceu ontem, com várias saídas em transição por parte de Elias, Matias ou Izmailov em condução, aconteceu frente ao Braga com Mossoró sempre com muito espaço no corredor central para percorrer e definir. Teimosia enorme de Jorge Jesus, os mesmos erros de sempre;

- Luisão e Garay pareceram-me francamente ainda limitados fisicamente e existiram situações gritantes de desvantagem em confrontos directos que quer-me parecer, não teriam acontecido se ambos tivessem em situação física mais confortável. Valia a pena o risco? Ambos estariam nas melhores condições?

- Ricardo Sá Pinto muito bem a nível estratégico e na forma como organizou a equipa. Bloco médio/baixo, grande concentração de jogadores sobre os espaços, muita solidariedade defensiva, concedendo a primeira fase de construção ao Benfica sem qualquer tipo de pressão dos seus homens mais avançados aos dois centrais, concedendo-lhes a posse de bola, mas exercendo uma forte 'zona pressing' no meio campo ofensivo encarnado e também nos seus corredores laterais. O timing de antecipação de alguns jogadores foi muito interessante, tendo o Sporting aproveitado e muito bem as saídas em transição para criar muito perigo fruto também, da enorme valia de jogadores como Schaars, Matias, Elias e Izmailov.

- Jorge Jesus nunca me pareceu um técnico controlado, com noção exacta e capacidade de leitura e controlo do próprio jogo. Quer-me parecer que o seu estilo algo descontrolado no banco benfiquista, o impede de ter uma postura fria e exacta do que está a acontecer no jogo, o que o prejudica e à equipa que lidera. Pelo contrário, Sá Pinto, que surpreendentemente se está a revelar uma bela surpresa ao nível da sua postura, esteve sempre interventivo, calmo e parece-me que as substituições que fez, foram bem feitas.

2 comentários:

  1. Concordo :)
    Jesus é teimoso, incapaz de aprender com os erros. Penso também que pode ser um bom treinador em treino mas não o será em jogo. descontrolado sim, demasiado interventivo no pormenor mas desfocado na análise do jogo na sua globalidade.
    Sá Pinto fez o que deveria fazer, baixar bloco anulando o sector mais perigoso do Benfica e explorando as fragilidades defensivas. E soube construir a equipa para desempenhar em campo aquilo que em teoria seria óbvio, o que nem sempre é tão fácil como parece (como dizia o Carlos Brito numa aula... "no papel é fácil, mas lá dentro os jogadores mexem-se").
    Vitória merecida do Sporting, facilitada com a obtenção do golo porque se o Benfica estava "obrigado" a vencer e o Sporting entrou em jogo prevendo essa necessidade de exposição por parte do adversário mais se acentuou o acerto estratégico do Sporting perante a vantagem conseguida. Tudo poderia ter mudado ao primeiro minuto... nunca saberemos.

    ResponderExcluir