quinta-feira, 10 de junho de 2010

Balanço pessoal da época 2009/2010


Quando iniciei a minha aventura nas lides do treino, sabia que a época iria ser longa e que durante a mesma teria oportunidade de aprofundar mais os meus conhecimentos. Há muito por onde se estudar, por onde se pesquisar, no fundo, por onde evoluir e o futebol e suas disciplinas subjacentes é um mundo à parte. Assim aconteceu. Assumi o comando técnico de uma equipa de futebol de formação, sítio indicado para começar e aí começou a minha caminhada. Hoje, posso dizer que sei mais do que ontem. Tive oportunidade de partilhar experiências, colocar perguntas, provocar o debate e assim poder colher mais aquilo que pretendia. Pessoalmente, considero esta época extremamente positiva e nem é por ter conseguido a melhor classificação de sempre com esta equipa, mas porque pude colocar em prática as minhas ideias, trazer uma nova metodologia de treino e novas formas de o abordar tal e qual como a competição e porque juntos, eu, o meu colaborador, os miúdos e os seus pais, conseguimos partilhar de uma comunhão imensa, ao qual se juntou um ambiente de profunda união em torno da equipa, como se comprovou ao longo de uma temporada. Costuma-se dizer que os jogadores ao início gostam de tomar o pulso e fazer valer as competências e fragilidades do seu líder. Neste caso, dada a idade dos miúdos, foram os pais que provavelmente tiveram essa oportunidade. Sinto-me muito satisfeito. Dei tudo de mim, trouxe novos métodos, um ar muito personalizado, uma nova forma de pensar o jogo e o próprio futebol e isso em muitas ocasiões notou-se. Acho que uma das imagens que trarei sempre comigo, será o discurso que os pais dos miúdos e os próprios miúdos, gritando para eu ficar, tiveram para comigo. Nunca esquecerei tamanhas palavras, senti-me bastante emocionado a ouvi-las. Agora, provavelmente começará uma nova era. Espero ter uma nova oportunidade de continuar a evoluir activamente, ou seja, ao comando de uma equipa. Sinto-me forte, preparado e capaz para assumir todos os desafios. Se eu não tiver confiança em mim mesmo, ninguém a terá. Quando é o meu próximo treino? Não sei... mas sei que já tenho muitas saudades da preparação, da organização e do comando do treino.